“É no campo da vida que se esconde um tesouro.

Vale mais que o ouro, mais que a prata que brilha.

É presente de Deus, é o céu já aqui, o amor mora ali e se chama família.”

domingo, 17 de novembro de 2013

4

#Luto

A Perda de um Filho (Dor que não tem explicação)



É da semente do amor que floresce a saudade...
É da colheita do fruto que surge algo que chamamos de laços.
E é quando a vida os desata que chamamos de perdas.
Perdas irreparáveis.
Perdas que não tem nome.
Dor que dói só de pensar.
Dor que um dia ouvi ser equiparada a um parto inverso.
Devolver o filho. Sem ao menos nos perguntar se damos essa permissão.
Lágrima que não sai. Choro que nos falta o ar.
Medo de viver.
Medo que o medo nunca saia de nosso coração.
Medo do medo.
Vontade louca de voltar segundos, ou talvez milésimos dele, para gritarmos para nosso filho: saia daí! , ou desvie o carro, ou não ande por essa rua.

Mas nada é possível.

O chão é roubado, o coração parece parar, e borboletas voam angustiadas pela nossa alma.

O sonho de que tudo seja mentira... Que a notícia recebida foi engano.... Que o nome dito era homônimo.

A mentira se faz verdade.

O nome querido pensado com tanto carinho antes mesmo do nascimento, é trocado por alguém que já o chama de “corpo”.

Seu leito se torna forrado de flores, flores estas que sonhávamos para sua formatura ou casamento. E agora o acompanha para emoldurar seu semblante que parece estar em um sono profundo.

Olhos que não abrem mais. Mãos que não nos afagarão mais. Voz que não nos dirá "Mãe Te Amo"....


No caso de um filho especias, algumas mães não puderam nem ouvir a voz do filho dizer mamãe. Algumas crianças tem múltiplas deficiências e entre elas, o não falar...
Mas o mamãe vem com o olhar, com o sorriso.
E me pergunto como sobreviver sem esse olhar, sem esses gemidos, sem a presença deste filho.

Hoje meu coração está em luto. Perdemos mas uma das nossas crianças especiais. 
Só esse ano foram cinco! Joyce, Érika, Maria Eduarda, Ana Clara e agora a Duda.
Nossas princesas partiram... nossas filhas!

Dudinha... sentiremos muitas saudades...
Nossa amiguinha, nosso anjo e porque não dizer, um pouco filha também!
Sim!!! Crianças especiais, tem muitas mães... Nós compartilhamos, uma a dor da outra.
Nós nos ajudamos... nós compreendemos.
Que o Céu te receba em festa! Em alegria!
Que você adentre os portões celestiais, não mais numa cadeira de rodas cor de menina, mas saltitando, correndo, dando os gritinhos que você dava nesta Terra.
Meu coração está partido, mas quando imagino a cena que descrevi acima, é como se fosse um consolo.
Que Papai do Céu te mostre o Paraíso, onde não existe mais dor, sofrimento e doenças.
Um dia vamos nos reencontrar e poder brincar! De bonecas, de bicicleta, de patinete... sim, serão outras rodas na sua vida!
Tenho fé!




sábado, 16 de novembro de 2013

0

Feriado em casa. Bom também!!!

Feriado em casa... desta vez, decidimos ficar por aqui mesmo.
Na verdade mudamos nossos planos: iríamos para Ponta Grossa, na casa da Gislaine e do Anderson, nossos amigos especiais.
Ela é uma das minhas melhores amigas e também mãe de uma linda menina especial, a Mariana.
Nos programamos para passar o dia com eles amanhã, mas maridão sugeriu que fôssemos final de semana que vêm, pois amanhã na volta do feriadão, com certeza pegaríamos congestionamento e seria sofrido para as três crianças dentro do carro.
Ano passado fizemos uma dessa... eu estava grávida da Momô e fomos os quatro viajar. Uma viagem que seria de duas horas e meia, fizemos em seis!
Camilinha já tinha feito a cirurgia da coluna... Ainda bem! Dessa forma, ficou bem sentada dentro do carro, coisas que antes de 11 de julho do ano passado, não conseguiríamos fazer! Sem chance! Nem a pau, Juvenal!!!

Queria tanto poder ter feito esse passeio, poder vê-la antes de ter bebê! Logo o Miguel chega e sei que nos primeiros dias, é bom deixar a família a vontade!
Oremos pra que final de semana que vêm, tudo contribua para que possamos nos encontrar. É minha irmã de alma...de mãe diferente. Qualquer dia, prometo fazer uma postagem sobre como nos conhecemos.
Acho que seria um post muito interessante, principalmente para as mamães de crianças especiais que temem em ter mais filhos quando o primeiro é portador de necessidades especiais...
Vão se surpreender com nossas histórias, né Gi?
Quem sabe encorajamos alguém por aí...

Hoje enchemos a piscina para o Manu brincar. Logo depois do almoço, despencou água e a divesão foi literalmente por água abaixo.
Fomos para a frente da TV assistir filmes e desenhos. Camila dormiu a tarde toda... dei um belo banho, e ela capotou.
Agora a noitinha tirei um tempo para escrever aqui. Não vou mais abandonar meu blog.
E olhem quem me acompanhou, do meu ladinho?
A menina mais linda, vestida de amarelo OURO!

A menina que encanta nossos olhos...



sexta-feira, 15 de novembro de 2013

1

Notícias nossas...

Bom... hora de deixar a preguiça de lado e voltar com tudo para o blog, que por muito tempo, foi minha terapia.
Amo esse espaço, onde compartilho tanta coisa, mas confesso que depois que a joia menor chegou, as coisas ficaram meio corridas por aqui.
Bebê novo toma um tempão... quem é mãe sabe!
E ter olhos para três tesouros, não é tão fácil...
Dias atrás eu comentei aqui que o blog estaria passando por mudanças e logo teríamos uma cara nova.
Em breve mais uma surpresa!
Por enquanto, vou deixar uma foto de cada um deles porque tem amigas que nos seguem somente aqui e tem gente pedindo foto para conhecer a Monique.
Aproveitei que essa semana, os dois menores serviram de modelos para meu irmão, que é fotógrafo, e estou postando fotos lindas deles.
E também uma atual da Camilinha, que anda muito bem, obrigada!




domingo, 10 de novembro de 2013

2

Em obras

Amigos que nos acompanham no blog.
Ele está em reforma, para melhor atendê-los!!!!
Em breve, novidades por aqui...

quinta-feira, 4 de julho de 2013

4

A chegada da imazinha

Eu me sinto mal quando largo o blog. Ele começou como meu espaço de desabafo, de terapia, de compartilhamento, de amizades, de experiências, de troca de informações... Quando o abandono, me corta o coração, mas ultimamente andei sem inspiração e muito cansada.
O finalzinho da gestação acaba com a gente e quem já passou por isso, sabe que não estou exagerando.
Pois bem: estamos nos adaptando a nova rotina.
Monique, a irmazinha da Camilinha, nasceu dia 20/06.
Hoje, com 13 dias, algumas noites em claro, e não havia inspiração que viesse com a canseira.
Prometo ser mais dedicada e não prometer tanto deixar o blog de lado.


Camilinha está bem, na medida do possível. Os dias tem sido frios e úmidos e com isso as secreções aumentam, mas ela continua com fisioterapia todos os dias.
O sentar na cadeira é fundamental, mas hoje dei folga para a babá dela pois estava muito gripada e como não estou podendo erguê-la ainda devido a cesárea, ela ficou o dia todo na cama.
Mas fomos presenteados hoje com um lindo dia e o sol voltou para nossa alegria!!!

Por falar em irmazinha, ela aceitou muito bem a ideia. Diferente de quando tive o Emanuel, cinco anos atrás.
Chegamos com a Monique do hospital e fomos apresentá-la a irmã mais velha.

Chega ser engraçado tudo isso que compartilho com vcs... eu que tive tanto medo de ter outro filho depois de tudo o que aconteceu no parto com a Camila e hoje me vejo tendo o segundo bebê depois dela.
Deus é bom! Foi bom comigo quando me permitiu ser mãe de uma criança saudável quando deu tudo certo no parto do Emanuel e pude ver o outro lado de ser mãe. Quando vi que poderia ter um um filho da forma que sempre sonhei. Poder parir e levar o filho pra casa e não deixar a criança num hospital. É como se parte de você partisse e a outra ficasse alí na maternidade.
Camilinha ao mesmo tempo que é tão frágil é tão forte... 
 
E agora, mais uma vez fui presenteada por Deus quando pude ter outra menininha...
Creio que nada é por acaso e esses meus filhos vieram com uma missão especial: poder acrescentar nessa nossa familia que já era feliz, ainda muito mais alegrias e o fato de poderem conhecer o amor incondicional que a Cacá nos transmite.
Eles serão adultos melhores por esse motivo.
Eu creio! Sempre pensei assim!

E mesmo com tantas lutas, noites em claro, internamentos, as vezes tendo que nos separar quando a Camilinha exige mais atenção que os outros dois, sei que nosso papel tem sido muito bem feito e vejo nos seus olhos o quanto está feliz... Ela diz obigada mamãe com o olhar.

Só damos um desconto, as 03:00 da manhã quando alguém acorda com aquele chorinho desesperador querendo mamar, Camilinha se espanta...
Na proxima postagem, vou trazer uma foto do trio. Prometo!
 




 
 
 
 
 
 

terça-feira, 16 de abril de 2013

8

Filhos... A minha dedicação, minha oração, a minha gratidão...

A grande maioria aqui sabe que estou esperando bebê.
Estou de 29 semanas e 4 dias.
Reta final! Rsrsrs...


Na empresa onde trabalho, estou participando do curso de gestantes.
Hoje foi a palestra com o obstetra Maurício Grillo e eu lógico, não deixei passar a oportunidade de perguntar assuntos relacionados a parto nomal. Sempre que posso, procuro ouvir opiniões de outros médicos até para saber melhor a respeito do assunto e tentar entender o que houve no dia que a Camilinha nasceu.
Claro que tudo vai continuar a mesma coisa e a opinião de cada um é diferente.
Mas eu gosto de participar desse tipo de palestras e tentar afastar os fantasmas que as vezes querem aparecer nos pensamentos.
Não vou expor ou explicar mais uma vez o meu medo do parto normal pois sei que muitos que me lêem tem já a opinião formada sobre o assunto e quem sou eu para tentar mudar a opinião de alguém, não é mesmo? Temos que respeitar a opinião de cada um e é justamente isso que ento fazer.
Hoje, para mim restou o trauma e não faço parto normal nem a pau!
Até rimou!

:)

E por falar em parto, hoje também foi dia de mais uma ecografia e vai tudo bem com a Monique, graças a Deus!
36 centímetros e pesando 1.434 kg.

Levei meu filho junto para ver a maninha na TV como ele diz e ele presenciou a irmãzinha segurando o pézinho. Não sei quem estava mais bobo: ele ou meu esposo!
Ela está sentadinha ainda... mas mesmo que encaixe, vamos para a cesárea, provavelmente na semana do dia 20 de junho.

Camilinha passou muito bem o dia. Cheguei do trabalho e ela no maior sono.
Ai ai esses nossos filhos...
E por falar em filhos, deixei um texto bem realista aqui no blog para compartilhar com vcs!


Filhos:

Eles são o nó no meu cabelo. O esmalte descascado na minha unha, as olheiras no meu rosto.
Eles são o brinquedo na gaveta de roupas, o amassado nas páginas do meu livro, o rasgado no meu caderno de anotações.
Eles são o melado no controle remoto, o canal de televisão, o filme no DVD.
Eles são o farelo no sofá, as tesouras no alto.
Eles são o backup no computador, o mouse escondido, as cadeiras longe da janela.
Eles são a marca de mão nos móveis, o embaçado nos vidros, o desfiado nos tecidos.
Eles são o ventilador desligado, a porta do banheiro fechada, a gaveta da cômoda aberta.
Eles são o coque na minha cabeça, o amarrotado nas roupas, as frutas fora da fruteira, os panos de prato amarrando os armários.
Eles são o meu shampoo cheio de água, a espuma no chão do banheiro, o brinquedo dentro da privada.
Eles são o interruptor nas tomadas. Eles são o peixe no aquário, a árvore de natal,
os "pisca-pisca" de todas as casas.
Eles são o círculo, o susto....
A primeira visão da lua no começo da noite....
O valor do trabalho, a vontade de aprender, a minha força, a minha fraqueza, a minha riqueza.
Eles são o aperto no meu peito diante de uma escada, a ausência de sono diante de uma febre.
Eles são o meu impulso, o meu reflexo, a minha velocidade.
O cheirinho no meu travesseiro, o barulho, a metade, o azul.
Eles são o vazio triste no silêncio de dormir, o meu sono leve durante a noite.
Eles são o meu ouvido aguçado enquanto durmo. A minha pressa de levantar da cama, a minha espera de bom dia.
Eles são o arrepio quando me chama, a paz quando me abraça, a emoção quando me olha.
Eles são meu cuidado, a minha fé, o meu interesse pela vida, a minha admiração pelas crianças, o meu respeito pelas pessoas, o meu amor por Deus.
Eles são meu ontem, o meu hoje, o meu amanhã.
Eles são a vontade, a inspiração, a poesia. A lição, o dever.
Eles são a presença, a surpresa, a esperança.
A minha dedicação. A minha oração. A minha gratidão. O meu amor mais puro e bonito. A minha vida!








sábado, 13 de abril de 2013

2
Depois de exatos 50 dias sem poder sair da cama, heis que conseguimos colocar a Camila na cadeira de rodas pela primeira vez.
Desconsiderem a carinha fechada... isso é o que menos importou, afinal, ainda deveria sentir um pouco de dor/desconforto e fora que já havia se desacostumado a ver o mundo na vertical.
Camila passou por mais um procedimento cirúrgico no dia 21 de fevereiro, onde dessa vez retirou a cabeça femoral.
Pensem numa boneca de pano. Suas pernas agora são "molengas" como as dessa mesma boneca por não ter mais o encaixe do fêmur com a bacia. Explicando assim de uma forma muito grotesca para os que não estão acostumados com o termos mais técnicos.
Uma vez ouvi de uma pessoa tão insignificante a tal pergunta: porque sua filha tem que passar por tanta coisa? Tantas cirurgias se nunca vai andar, falar e esses procedimentos não servem para nada?
Bom... para começar, isso não é problema algum para esse "ser". Quem cuida da Camila sou eu e meus esposo e quem deve tomar as decisões sobre ela somos nós, certo?
Foi uma cirurgia digamos que sofrida. Talvez até mais do que a Artrodese de Coluna que ela se submeteu ano passado, mas com toda a certeza do mundo digo que o resultado foi excelente e que minha conciência está tranquila mais uma vez por ter entregue minha filha nas mãos de profissionais que sempre nos orientam quanto a mais qualidade de vida à ela.


Não gosto que pensem que sou uma pessoa infeliz por ter uma filha especial.
Tenho meus momentos de perguntas sem respostas, tenho sim, não vou negar.
Onde as vezes choro e ninguém nem fica sabendo.
Mas como ser humano evoluí e cresci muito depois de anos de lutas com ela.
Não sou mais a mesma de 11 anos atrás.
Não me rotulem!
Não marquem uma mãe especial onde só ela sabe o quanto não é fácil cuidar de uma criança com tantas limitações, mas vejam a nós, essas mães, que somos guerreiras e só lutamos pelo que é melhor (e direito) de nossos filhos.

E ontem, pela primeira vez, pudemos ver ela sentade de uma forma mais correta.
E sendo minha companheira na cozinha, na hora de preparar o jantar...

#Feliz